A cidade da mesa - parte 1


Você sabia que em Tijuana, na Baixa Califórnia, havia uma CERESO em que os parentes dos detentos poderiam morar com eles? Eu faço porque eu vivi dentro...


El Pueblito de la Mesa, um CERESO onde reinava a corrupção e a impunidade...



Centro de Reabilitação Social El Pueblito De la Mesa ou berço da corrupção e do crime?



Muitos anos atrás eles me acusaram de uma fraude, que ele não cometeu, que era então meu marido e eles o colocaram como prisioneiro do CERESO de la Mesa, mais conhecido como o Pueblito De La Mesa. Esta foi uma experiência na área de estabelecimentos correcionais no México, no interior permitiram que os parentes dos prisioneiros vivessem e foi construída em 1956. Eu estava casada há apenas 7 meses e vendo o desespero em que ele estava submerso, decidi me prender por amor e deixar o dia que ele fez.



Esta prisão, localizada em Tijuana, Baja California, foi o berço de corrupção e impunidade, o que posso dizer é pouco comparado ao que vivia dentro. Em um hectare de terra, foi planejado que 2 mil presos pudessem viver, mas a realidade é que até 6,780 prisioneiros e mais de 300 famílias viviam em condições deploráveis.



O Pueblito de la Mesa não era uma penitenciária comum em qualquer aspecto, ali os presos tinham que pagar por tudo, sim por absolutamente tudo. Não havia celas como as que vemos nos filmes, não havia sala de jantar, nem o pátio típico onde podemos ver os internos que se distraem algumas horas por dia. Aqui todo mundo tinha que ver como eles conseguiam sobreviver dia a dia. Havia classes sociais, os mais ricos eram os Maizerones (quase todos eram traficantes de drogas) e viviam em chocalhos. Las Carracas correu de um quarto tipo de célula, mas com portas de madeira ou metal em vez de barras, para apartamentos duplex com jacuzzi, televisão, ar condicionado, cozinha, etc. e todos os tipos de amenidades.



A próxima classe social vivia em "Os túmulos", uma espécie de mausoléu com buracos na parede em que os prisioneiros eram introduzidos à noite para dormir, esses buracos tinham um pequeno porta de metal para proteger seus pertences enquanto eles não estavam dentro.



"Labirintos" era a casa daqueles que não podiam pagar pelo primeiro. Como o próprio nome indica, foram construções de cimento com cerca de 90cm de largura por 1m de altura. Nestes corredores viviam famílias inteiras amontoadas sem sequer serem capazes de se levantar. Não havia ventilação e a pestilência era insuportável, mas pelo menos eles dormiam sob um teto e tinham um lugar com uma porta e um cadeado para abrigar seus poucos pertences.



As "Auras" eram as menos afortunadas, elas não tinham dinheiro, já que esses lugares variavam de 10.000 dlls em diante... sim, até escritura que eles lhe deram, para comprar um espaço para passar a noite e eles foram forçados a viver em campo aberto. À noite, colocavam um papelão como um colchão, pegavam um cobertor e empilhavam as ruas para se aquecer.



As catacumbas eram o lugar onde puniam os internos que cometeram alguma falta. Eu nunca conheci essa parte da prisão porque era muito perigoso. Ali colocaram o prisioneiro numa espécie de retângulo de cimento, no qual não puderam ficar de pé, durante dias... muitos ganharam vida, mas não tiveram a sorte de partir.



Diziam-lhe o Pueblito de la Mesa porque literalmente alguém tinha que pagar por tudo e era como uma cidade abarrotada por aquelas paredes que delimitavam a possibilidade de ter uma vida digna daquele inferno que eles disseram ser um Centro de Readaptação Social. Dentro havia de tudo: escola, pequenos restaurantes com bancos corre, locadora de vídeo, biblioteca, limpeza a seco, mercearia, cabeleireiro, Mercadito, artigos diversos, farmácia, um quiosque central (na venda de bens roubados) e até mesmo prostíbulo...


Popular

Recent Posts

Архив блога