Manifestantes recebem a Faculdade de Filosofia e Letras


Um grupo de manifestantes toma a Faculdade de Filosofia e Letras como um protesto pela prisão de um de seus colegas e o suposto desaparecimento de dois de seus colegas.



Um grupo de manifestantes tomar a Faculdade de Letras para protestar contra a prisão de um de seus companheiros eo alegado desaparecimento de dois de seus companheiros.



Os homens encapuzados alegou ser estudantes, disse que a sua companheiro, que apelidado de "Yorch" foi levantada nas parabús que está na frente de "Superama", que é no eixo 10 Copilco, quase no cruzamento da avenida da universidade.



acordo com a versão dos manifestantes eles estão perdendo René "matemático" e um outro jovem que não tenha dado informações sobre o seu nome ou o apelido.



Os atos de manifestação chegaram ao posto de gasolina que fica na Universidade, ao lado da entrada do campus da universidade, onde alguns dos manifestantes queimaram um carro, que aparentemente é uma patrulha da Auxilio UNAM.



De acordo com informações da Procuradoria Geral da República, Jorge Emilio Esquivel Muñoz, "El Yorch", está em seus escritórios fazendo uma declaração, mas nenhum detalhe adicional de sua detenção é dado.



A informação dada pelo PGR foi confirmado por alguns estudantes, que disseram que Jorge Emilio Esquivel Muñoz está sendo detido pelo PGR.



Segundo alguns meios de comunicação, outros grupos de manifestantes estudantis (alguns mencionam que é um grupo de anarquistas) participaram do auditório Justo Sierra, conhecido como Che Guevara, e fizeram distúrbios nas proximidades da Faculdade de Filosofia. e Cartas, na Cidade Universitária.



Na manhã de 25 de fevereiro de 2016, as barricadas com capuz formadas do lado de fora da Faculdade de Filosofia e Letras, também há fechamentos para a estrada no circuito escolar, em torno de CU. Até agora as aulas e o transporte interno, conhecido como Pumabus, foram suspensos. Segundo informações do Centro de Medios Libres, 10 homens do tipo militar e vestidos em trajes civis levantaram o ativista Jorge Emilio Esquivel, eles o colocaram em uma van. branco, sem placas e eles foram embora pelo eixo 10 sem direção desconhecida. Até agora, o estado físico de "El Yoch" e as acusações contra ele são desconhecidas.



Mais tarde, foi relatado que "El Yorch" foi preso por posse de drogas, ele estava segurado com 50 embalagens de cocaína, comprimidos psicotrópicos e um saco de maconha. Por seu turno, a UNAM apresentou uma queixa por vandalismo, também afirmou que Jorge Emilio Esquivel Muñoz é alheio à instituição.

Popular

Recent Posts

Архив блога